Buscar

Veja como peritos da PCDF desvendaram um estupro ocorrido há 15 anos

Um crime sexual cometido há 15 anos no Distrito Federal, no qual a Polícia Civil não havia conseguido apontar a identidade do estuprador, foi solucionado graças ao trabalho desenvolvido por peritos do Instituto de Pesquisa de DNA Forense (IPDNA) da PCDF. O cruzamento de dados genéticos, por meio do Banco Nacional de Perfis Genéticos, conduziu os investigadores até o agressor.


O crime ocorreu em uma residência em Brasília, no ano de 2007, e o primeiro suspeito foi descartado após exame de DNA na época. A confirmação ocorreu após um “match” (combinação) entre materiais coletados no corpo da vítima e no perfil genético de um condenado que cumpre pena por outro delito, em Minas Gerais.

Os vestígios com amostras de DNA foram inseridos em abril de 2022 no banco nacional. A análise dos perfis genéticos foi realizada em conjunto pelos laboratórios de perícia oficial do Distrito Federal e de Minas Gerais. “Esse caso ilustra a importância da coleta, do processamento e do exame de vestígios de crimes e de amostras biológicas de condenados por crimes violentos e inserção dos bancos de perfis genéticos”, afirma André Meirelles, presidente da Associação Brasiliense de Peritos em Criminalística (ABPC).

Como o inquérito será reaberto e a vítima ainda não foi informada sobre a prisão do seu algoz, a PCDF não forneceu mais detalhes sobre a ocorrência.

O perito ressaltou que, apesar do sucesso deste caso, ainda é pequena a quantidade de vestígios dessa natureza processados e inseridos no banco nacional. Segundo o especialista, é necessário aumentar o volume de amostras a fim de solucionar outros casos.


Fonte: Metrópoles




12 visualizações0 comentário